Foto: Luiz Herique Moticelli
Foto: Luiz Herique Moticelli
A importação de maçãs da China preocupa os fruticultores catarinenses. Para tratar desta e de outras demandas do setor produtivo de Santa Catarina, o secretário de Estado da Agricultura e da Pesca, Moacir Sopelsa recebeu os presidentes da Associação dos Produtores de Maçã e Pera de Santa Catarina (AMAP), da Associação Brasileira de Produtores de Maçã (ABPM) e da Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Santa Catarina (Faesc), além dos deputados estaduais Natalino Lázare e Luiz Fernando Vampiro, nesta quarta-feira (30) em Florianópolis.


Segundo o diretor executivo da ABPM, Moisés Lopes de Albuquerque, o que mais aflige os produtores é a possibilidade de o Brasil importar maçãs da China, o que poderia trazer grandes prejuízos para o setor em Santa Catarina. Atualmente, a China responde por quase metade da produção mundial de maçã e por 70% da produção mundial de pera. Comparando com o Brasil, a produção chinesa é 31 vezes maior do que a brasileira. Devido à grande quantidade produzida e aos subsídios do Governo chinês, a maçã chinesa chegaria ao mercado brasileiro a R$ 34,00/ caixa, sendo que o custo de produção em Santa Catarina é de R$ 35,00/ caixa. “A permissão da entrada de maçã da China no Brasil provocará o colapso da cadeia produtiva de maçã e gerará impacto também sobre outros segmentos que integram o setor”, afirmou.

Os produtores trouxeram ainda sugestões para evitar a reintrodução da Cydia pomonella, também conhecida como traça da maçã, nos pomares do país. Há mais de um ano, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) declarou o país livre da praga, um feito inédito no mundo. Para manter esse status e garantir a segurança dos pomares, os produtores pedem que o Brasil estabeleça requisitos fitossanitários rígidos para importação de frutas hospedeiras da traça da maçã. “A segurança sanitária deve ser uma prioridade, a produção de maçã é importantíssima para o estado”, destacou o secretário Sopelsa.

Foram tratadas ainda questões sobre o Seguro Agrícola e a fiscalização federal para exportação de maçãs. O secretário Moacir Sopelsa levará as demandas dos produtores ao conhecimento do governador Raimundo Colombo para que juntos possam tratar das medidas de apoio ao setor. “Eu sou um parceiro de vocês. Vamos construir uma proposta que beneficie os produtores de maçã de Santa Catarina e que também atenda aos interesses do país. Não me falta boa vontade para construirmos uma agricultura mais forte”, ressaltou.


Produção de maçã em Santa Catarina


Santa Catarina é o maior produtor nacional de maçã. O estado responde por 49% da safra brasileira, com uma produção de 614 mil toneladas em 2015. Cerca de 75% dos produtores brasileiros de maçã estão em Santa Catarina.

O faturamento do setor em 2014 foi de cerca de R$ 2,1 bilhões com a comercialização da fruta in natura no mercado interno, mais US$ 32 milhões em exportações de maçãs frescas e US$ 22 milhões em exportações de suco de maçã. Estima-se que Santa Catarina seja responsável por 50% de todo esse faturamento.